No Brasil, muitas pessoas adquirem e usam remédios com grande frequência e, em vários casos, sem a orientação de um médico especialista. Os riscos da automedicação são maiores do que grande parte da população imagina.

É importante superarmos aquela ideia de que basta ir à farmácia para resolver os mais variados problemas de saúde. Há uma série de riscos da automedicação que podem ser evitados com uma ação correta de cada pessoa.

Conheça os principais riscos da automedicação e por que você deve buscar a prescrição médica na aquisição de remédios.

1- Opção pelo remédio errado

Diante de tantas opções encontradas na farmácia, a automedicação pode muitas vezes representar a escolha do remédio errado. Com isso, a pessoa vai na direção oposta à solução do seu problema de saúde e, em muitos casos, dá tempo para uma eventual doença se estabelecer.

A melhor maneira de tomar remédios com segurança é contar com a orientação e a prescrição de um médico.

2- Agravamento de doenças

O primeiro grande risco associado à automedicação é o de agravar doenças – muitas vezes ainda não diagnosticadas. Ao sentir sintomas estranhos e incômodos, o que se recomenda é buscar a ajuda de um médico, que poderá orientar com uma medicação ou com exames direcionados.

Quando alguém pula esta etapa tão importante, ela pode mascarar determinados sintomas durante algum tempo. Embora pareça positiva e possa trazer um alívio imediato, a atitude pode fazer com que a doença se agrave lentamente.

3- Interações perigosas entre os medicamentos

Você já deve ter observado que os médicos sempre perguntam se o paciente faz uso contínuo de algum remédio. A questão não aparece por acaso, afinal existem interações entre substâncias presentes em diferentes remédios.

Quando a automedicação acontece, interações consideradas perigosas podem acontecer sem que a pessoa desconfie. Resultado? Sintomas ainda piores e outras complicações podem surgir.

4- Intoxicação por alguma substância presente no remédio

Medicamentos são compostos por uma série de substâncias complexas, por isso devem ser utilizados com toda a orientação necessária.

Algumas pessoas podem ser vulneráveis a determinadas substâncias presentes nos remédios. Além disso, certos medicamentos podem ser inadequados de acordo com a avaliação do médico e o histórico do paciente.

Em alguns casos, o uso precipitado de remédios pode levar a intoxicações severas, por isso as pessoas devem ter o cuidado de buscar orientação médica.

(Em caso de intoxicação, entre em contato com o Sinitox – Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas no telefone 0800 722 6001)

5- Perda do hábito de ir ao médico

Quando alguém se habitua à automedicação, pode criar a ilusão de que todos os seus problemas de saúde serão solucionados com uma ida à farmácia. É preciso entender que médicos são profissionais capacitados para prestar a melhor assistência em suas especialidades.

Ir ao médico com regularidade é uma ação principalmente preventiva e deve ser parte da rotina de pessoas saudáveis.

Cultive hábitos saudáveis!

Tomar remédios por conta própria pode ser mais perigoso do que se imagina. Agora que você já conhece os grandes riscos da automedicação, vale a pena se atentar para outros pilares para uma vida plena e longeva.

O bem-estar tem relação direta com os nossos hábitos do dia a dia. Aqui em nosso blog, trazemos dezenas e dezenas de dicas para você viver de forma cada vez mais saudável!

 

Fonte: Ministério da Saúde