A poliomielite – conhecida também como pólio ou paralisia infantil – é uma doença que ganhou as manchetes nos últimos tempos depois de vários anos. A razão é muito simples: mais crianças e adultos ficaram vulneráveis a essa doença por não estarem imunizados com a vacina.

Entender os perigos da poliomielite é o primeiro passo para combatê-la. Saiba quais são as suas características e o que pode ser feito para evitar a doença.

O que é a poliomielite?

A pólio é uma doença causada por um vírus presente no intestino, o poliovírus. A infecção acontece por meio do contato com fezes ou secreções eliminadas por uma pessoa já contaminada.

Os sintomas lembram alguns dos mais comuns registrados em viroses e gripes. Entre eles, estão febre, mal-estar, diarreia, dor de garganta e vômitos. Nos casos mais graves, a poliomielite provoca a paralisia de músculos, principalmente nos membros inferiores.

Mesmo após curadas, as pessoas infectadas pelo poliovírus podem apresentar sequelas importantes. Atrofia muscular, osteoporose e problemas nas articulações são alguns exemplos. As crianças podem sofrer também com o crescimento diferente das pernas, que leva a um quadro de escoliose.

Como se prevenir contra a poliomielite?

A poliomielite é uma daquelas doenças de difícil tratamento. As vítimas de contágio são hospitalizadas e tratadas de acordo com os sintomas, mas não existe um remédio específico para eliminar o vírus.

Por ser uma doença perigosa e ter um tratamento complexo, o melhor remédio contra a pólio é a prevenção por meio da vacina. Todas as crianças com até cinco anos de idade devem ser vacinadas contra a poliomielite. São três doses de vacina injetável e mais duas doses de reforço com a vacina oral bivalente. A dica é ficar de olho no calendário de vacinação e nos postos da sua região para manter as crianças protegidas.

(Leia também: 6 exames de rotina para crianças que são fundamentais)

Vacinas salvam vidas

A poliomielite ainda é considerada uma doença erradicada no Brasil. Mas por que ainda? Porque a erradicação não é algo permanente, depende da consciência da população em vacinar os seus filhos nas últimas décadas. 

O que se tem visto, de poucos anos para cá, é um movimento de parte da população contrário às vacinas. Quando as campanhas de vacinação ficam muito abaixo da meta, o risco de o vírus voltar a circular só aumenta. Por isso, é fundamental que o poder público reforce essas campanhas e que a população compreenda que as vacinas podem salvar vidas.

Tire todas as suas dúvidas sobre exames!

A vacina contra a poliomielite é essencial para que as crianças cresçam saudáveis e fortes. Além de entender a importância da vacinação, é válido esclarecer também alguns pontos a respeito de exames. Existem cinco dúvidas que são extremamente comuns quando o assunto é se preparar para os exames. Quer saber quais são elas? Então confira este outro post do nosso blog!

 

Fonte: Ministério da Saúde