Os desafios que a saúde pública encara no Brasil são bastante conhecidos pela população. Um dos mais atuais e relevantes é a resistência à vacinação, que poderia ser atenuada com uma atitude diferente por parte das pessoas.

Afinal, por que tanta gente tem medo de vacina? Será que realmente se vacinar pode fazer mal?

A resistência à vacinação tem muito a ver com questionamentos como esses e, até o momento, o governo não tem tido grande sucesso em demonstrar às pessoas que elas podem ser muito beneficiada pelas vacinas. O retorno de doenças como o sarampo, por exemplo, tem relação direta com as baixas taxas de imunização.

Informar é o grande desafio

Em um país de dimensões continentais como o Brasil, a comunicação em massa é complexa e nem sempre funciona bem. Há muitas áreas diversas a serem alcançadas e a mensagem tem de ser passada por dezenas de canais.

O Ministério da Saúde alega que a desinformação é a razão principal para a resistência à vacinação. Nem todos os brasileiros estão cientes dos benefícios que a vacina proporciona. Mais do que isso, muitas pessoas acabam se desinformando por meio de grupos em redes sociais que colocam em dúvida a segurança das vacinas.

Como funciona uma vacina?

As vacinas são compostas por partes de vírus ou bactérias mortas. São microorganismos enfraquecidos que, ao entrar na nossa corrente sanguínea, estimulam uma resposta por parte do nosso sistema imunológico.

No segundo momento em que a pessoa vacinada entra em contato com o vírus ou bactéria, seu corpo já está preparado para combater o invasor. Os anticorpos ou células de defesa impedem que o microorganismo estranho se multiplique e cause maiores danos ao organismo.

Uma das razões da resistência à vacinação é o receio de que a ação dos microorganismos enfraquecidos que compõem a vacina possa causar danos graves ao corpo humano. Boatos que se espalham de forma contínua e causam ampla desinformação dão conta de que o nosso organismo pode sucumbir após recebermos a vacinação.

O que poderia ser somente uma lenda urbana sem maior relevância acabou traduzido em um problema grave de má compreensão das pessoas.

Vacina não falta!

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente à população 19 vacinas. Juntas, elas são responsáveis por prevenir mais de 40 doenças, que afetam pessoas de diferentes idades.

Basicamente, se proteger é uma questão de escolha, ainda que algumas pessoas se queixem de filas para determinadas vacinas em épocas de maior procura.

Além da vacinação, o que fazer pra manter a saúde em dia?

Está claro que a resistência à vacinação é um problema que compromete a saúde pública no Brasil. Mas existem outras iniciativas bem importantes que as pessoas devem adotar para manterem o organismo preservado. Se alimentar de forma regrada e fazer exercícios físicos são dois excelentes exemplos. Outra medida importante é manter os exames em dia! E nisso nós podemos ajudar você, conheça o trabalho do Laboratório Cella.

Fontes: Ministério da Saúde