Sabe aquelas dores musculares que vêm com tudo e nos deixam com um desconforto durante vários dias? A resposta imediata da maioria das pessoas é recorrer a bolsas de gelo ou de água quente.

Será que os dois recursos tão famosos de combate a dores musculares são eficientes? De fato, tanto a bolsa de água quente quanto a bolsa de gelo podem ser muito úteis para aliviar esse tipo de sintoma. No post de hoje, explicamos em quais situações esses dois tipos de tratamento são mais adequados, confira!

Bolsa de gelo

O tratamento com gelo tem como principal característica a restrição de fluxo sanguíneo para aquela parte do corpo. Com isso, é possível retardar um possível espalhamento da lesão sentida. O alívio da dor tem a ver com a redução na transmissão dos impulsos nervosos que chegam ao cérebro e causam a sensação de dor.

A bolsa de gelo é indicada para casos agudos logo após o ocorrido. Quedas, pancadas, distensões musculares e mau jeito nas articulações podem ser tratadas imediatamente com gelo.

É importante tomar cuidado para não deixar o gelo diretamente em contato com a pele por tanto tempo, pois isso pode causar lesões. O ideal é enrolar o gelo em uma toalha ou ter uma bolsa térmica, além de não passar dos 20 minutos de aplicação.

(Leia também: Saúde física e mental pode ser prejudicada pelo estresse)

Bolsa de água quente

A bolsa de água quente exerce um papel oposto ao da bolsa de gelo em relação ao fluxo sanguíneo. Seu papel é estimular o fluxo, o que pode trazer maior elasticidade aos músculos e tendões. Sua aplicação não necessariamente precisa ser imediatamente após algum trauma e pode ser feita de forma contínua.

O uso da bolsa de água quente pode ser benéfico em casos de lesões crônicas, como um pilar da fisioterapia. Dores musculares, contraturas e mesmo dores abdominais relacionadas à TPM podem ser muito aliviadas com a ajuda da bolsa de água quente.

Assim como a bolsa de gelo, recomenda-se que a aplicação não supere os 20 minutos de duração. Tenha cuidado também com a questão da temperatura para não queimar a pele.

Pontos de atenção que devem ser observados

Apesar de bolsas de gelo e de água quente serem muito úteis contra dores musculares, não devemos apostar em uma delas de olhos fechados. Fique atento a questões como sensibilidade a mudanças bruscas de temperatura, pois algumas pessoas apresentam essa característica.

O mais importante é compreender que os dois tratamentos térmicos não são um santo remédio. Em outras palavras, o alívio sentido no momento dificilmente representará uma cura total do ocorrido, seja uma pancada, torção ou outro tipo de lesão. O ideal é buscar ajuda médica para exames de imagem e uma avaliação mais criteriosa.

E, quando o assunto é prevenção de dores musculares, a dica é não economizar no alongamento antes de qualquer atividade. Isso ajuda a aquecer o corpo e evitar algum trauma desnecessário. Além disso, é importante se manter ativo e não abrir mão de uma rotina de atividades físicas!

 

Fonte: Ministério da Saúde