A tuberculose é uma doença bacteriana que causa mais de 1,5 milhão de mortes mundialmente a cada ano. No Brasil, a doença é uma questão importante de saúde pública e vitima, a cada ano, aproximadamente 4 mil pessoas.

O tratamento da tuberculose é realizado principalmente pelo uso de quatro fármacos: rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol. Entenda mais detalhes a respeito do processo de evolução do paciente a seguir.

Como é feito o tratamento da tuberculose?

A tuberculose deve ser combatida por meio de um regime de Tratamento Diretamente Observado (TDO), disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ele consiste em um acompanhamento diário do profissional de saúde, que observa a evolução do paciente a partir das medicações.

O esquema básico de tratamento envolve os fármacos rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol.

O TDO é a principal ação de apoio e monitoramento ao paciente com tuberculose. A humanização é um dos trunfos do tratamento, que possibilita a construção do vínculo entre o profissional de saúde e o paciente.

É muito importante que aconteça o acompanhamento diário, já que o profissional de saúde pode avaliar a interação do organismo com os medicamentos. Em geral, a imensa maioria dos tratamentos com fármacos tem como resultado a cura da doença.

Um ponto de atenção é que o tratamento da tuberculose seja realizado até a completa superação da doença. Em muitos casos, o paciente tem uma melhora logo nas primeiras semanas, mas isso não significa que ele deve abandonar os remédios. Somente o profissional de saúde pode indicar o momento correto de suspender o tratamento.

Prevenção é o melhor caminho

O tratamento da tuberculose pode ter grande eficiência quando realizado da maneira correta. Porém, é muito importante que se defenda a prevenção como melhor caminho de combate à doença.

Em 2018, a tuberculose foi tema de um painel na Organização das Nações Unidas (ONU), que estabeleceu cinco diretrizes: ampliar o acesso à prevenção e ao tratamento; construir responsabilidades; garantir financiamento suficiente e sustentável, inclusive para pesquisa; promover o fim do estigma e da discriminação; e promover uma resposta equitativa, baseada em direitos e centrada nas pessoas.

A vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin), disponível gratuitamente no SUS, é a grande arma na prevenção da tuberculose. Essa vacina deve ser dada às crianças ao nascer, ou até completarem 5 anos de idade.

Vida saudável é sempre uma dica de ouro!

Além da vacina, é sempre importante destacar o valor de uma vida saudável. Boa alimentação, higiene correta, prática de atividades físicas e não uso de álcool e cigarro são iniciativas benéficas para evitar a tuberculose e muitas outras doenças.

Para aprender muito mais sobre como ter uma vida saudável, vale conferir os outros posts do nosso blog!

 

Fonte: Ministério da Saúde