O consumo de bebidas alcoólicas traz uma série de riscos para o organismo. Muitas pessoas, porém, não têm conhecimento sobre os diferentes malefícios do álcool. É fundamental entender como a substância pode prejudicar o nosso corpo.

O post de hoje esclarece sete mitos que confundem muita gente e limita a compreensão sobre os malefícios do álcool. É importante destacar que a droga representa um problema de saúde pública no Brasil, país que supera em quase 40% a média global de consumo de bebidas alcoólicas.

Veja agora quais são os sete grandes mitos sobre o álcool:

1- Alcoólatra é somente alguém que bebe todos os dias

Engana-se quem imagina que apenas as pessoas que bebem diariamente podem ser diagnosticadas como alcoólatras. Existem diferentes graus para o alcoolismo, que pode se manifestar também em quem ingere bebidas em intervalos menos regulares.

Um dos sintomas mais preocupantes é a sensação de incômodo ao passar vários dias sem beber. Esse sinal demonstra que o corpo sente falta da substância e já está adaptado a ela.

2- Gestantes que consomem álcool nem sempre prejudicam o bebê

Embora não seja algo matemático, o consumo de álcool durante a gravidez tem enorme potencial de causar danos ao bebê. Os riscos são ainda mais sérios durante os três primeiros meses de gestação, período em que o sistema nervoso está em formação.

A recomendação é cortar de forma radical o álcool durante a gestação.

3- A famosa “barriga de cerveja” é decorrente apenas da bebida fermentada

O senso comum relaciona a barriga mais arredondada e protuberante ao consumo excessivo de cerveja. Porém, as evidências práticas mostram que essa barriga bem pronunciada pode estar relacionada a diferentes tipos de excesso.

Uma pessoa que consome calorias demais, independentemente da fonte dessa energia, terá maiores chances de desenvolver o que nos acostumamos a chamar de “barriga de cerveja”.

4- Beber antes de dormir ajuda a pegar no sono

Outra lenda que se propagou na sociedade diz respeito a uma suposta ajuda que o álcool dá quando estamos com dificuldade para pegar no sono. Quem bebe antes de se deitar pode até conseguir adormecer mais rapidamente, mas a qualidade do sono fica comprometida.

O álcool tende a atrapalhar o sono da fase REM (movimento rápido dos olhos), que é decisiva para que se tenha o esperado caráter revitalizante.

5- Uma boa refeição no dia seguinte à bebedeira cura a ressaca

A ingestão de nutrientes variados após um dia de bebedeira acelera o restabelecimento do organismo, mas não se pode dizer que seja uma cura para a ressaca.

De fato, a alimentação anterior ao consumo excessivo de álcool faz mais diferença, bem como aquilo que é ingerido enquanto se está bebendo. Estar alimentado no momento em que se toma algum tipo de bebida alcoólica faz com que a substância leve mais tempo para ser absorvida, o que reduz a sua concentração no corpo.

6- Bebidas fermentadas são menos perigosas do que bebidas destiladas

Afirmar que bebidas como cerveja e vinho são menos perigosas pode levar a uma compreensão deturpada por parte da população. O tipo de bebida ingerida não é o que determina o grau de intoxicação, mas sim a quantidade de álcool que o corpo recebeu.

Vinho e cerveja têm quantidades de álcool bastante inferiores ao que se encontra em bebidas destiladas como cachaça e vodca. Porém, as pessoas tendem a ingerir porções maiores de vinho e cerveja justamente por parecerem mais leves.

Isso significa que não devemos definir as duas bebidas como menos perigosas. A dica é moderar o consumo e ficar de olho na quantidade de álcool que estamos ingerindo.

7- Quem bebe uma dose por hora tem condições de dirigir

A combinação entre álcool e direção já provocou milhares de tragédias no mundo. Ainda assim, muitas pessoas insistem em desafiar a lógica.

Uma das teorias afirma que o corpo humano consegue metabolizar, em uma hora, 100 mg de álcool por quilo de massa corporal. De fato, o ritmo de metabolização é metade disso, ou seja, 50 mg a cada hora. Mas a recomendação mais lógica e prudente é evitar ao máximo o consumo de qualquer quantidade de álcool, por menor que seja, caso você vá dirigir poucas horas depois.

11 anos de Lei Seca no Brasil

O sétimo mito da nossa lista é uma boa oportunidade para destacarmos o aniversário da Lei Seca, que foi criada no dia 19 de junho de 2008. Para saber mais a respeito dos malefícios do álcool, deixamos como sugestão a leitura de outro artigo do nosso blog, que trata também sobre os perigos do tabagismo. Clique aqui e confira!

Fonte: Organização Mundial da Saúde