Depois de quase um ano de combate ao novo coronavírus, a expectativa pela vacina contra covid é cada vez maior. Existem algumas vacinas em desenvolvimento no mundo, inclusive uma em estágio avançado no Instituto Butantan, na cidade de São Paulo.

A vacina contra covid desperta ansiedade na população, por isso é fundamental esclarecermos algumas questões recorrentes. No post de hoje, reunimos os cinco pontos que mais têm causado dúvidas na população brasileira.

1- Como funciona uma vacina?

A lógica de todas as vacinas é estimular o nosso sistema imune. Em geral, elas nos contaminam com vírus mortos ou enfraquecidos e em baixa quantidade para despertar uma reação no organismo, com a produção de anticorpos que combatam esses vírus.

Os anticorpos produzidos significam que a vacina foi efetiva, pois eles serão acionados prontamente para combater um vírus mais forte que possa infectar a pessoa futuramente.

2- O que é preciso para uma vacina ser aprovada?

A aprovação de uma vacina está diretamente ligada ao seu potencial de imunização. Essa taxa pode variar de acordo com a gravidade da doença e da urgência de uma vacina. No caso da covid, é extremamente urgente que se tenha um imunizante eficaz, por isso os Estados Unidos definiram uma taxa de eficiência de 50% como aceitável.

No Brasil, o índice estabelecido foi de 70%, mas é possível que isso seja baixado para 50% a depender da evolução dos testes.

3- A vacina será igualmente eficaz para todas as pessoas?

Dificilmente, uma vacina tem eficiência de 100%, ou seja, é improvável que todas as pessoas se tornem imunes ao coronavírus ao tomarem a vacina. No entanto, mesmo uma eficácia de 50% é muito relevante para que possamos retomar uma vida mais normal. 

Isso acontece porque a imunização de uma parte significativa da população reduz bastante a circulação do vírus, o que ajuda a proteger mesmo aquelas pessoas que não ficarão imunes ao tomarem a vacina.

4- Uma vacina produzida em tempo recorde será mais “perigosa”?

A pressa por uma vacina contra a covid-19 é justificada por toda a paralisação no mundo que essa doença provocou. Ainda assim, a vacina será igualmente segura se todas as etapas de desenvolvimento forem respeitadas.

Vale destacar que a vacina tem três fases de desenvolvimento. Na primeira, são verificados os efeitos colaterais, na segunda, os marcadores de imunidade são observados, e, na terceira, a eficácia é testada com milhares de voluntários.

5- Quantas doses serão necessárias contra a covid?

As vacinas contra covid são baseadas em diferentes tecnologias, por isso não seguem um mesmo padrão. O número de doses necessárias para despertar a imunidade pode variar de acordo com o desenvolvimento da vacina.

No caso da CoronaVac, desenvolvida em São Paulo, a expectativa é de que duas doses sejam suficientes para criar a imunidade.

Vacina é fundamental para a saúde!

A luta contra o novo coronavírus seguirá por algum tempo, mas a vacina contra covid terá papel fundamental. Por isso, vale sempre lembrar da importância da vacinação para a manutenção da saúde e a proteção contra diferentes doenças. Abordamos o tema em outro post do nosso blog, vale a pena conferir!

 

Fonte: Ministério da Saúde